Desassossego

maio 17, 2007 § Deixe um comentário


Bom viver também o avesso de nós mesmos
Os muitos possíveis, todos os dias, a toda a hora

Aquilo que eu assisto sou eu
O que desejo ter eu
Sinto sou eu
Faço ser eu
Vir a mim
É assim?

Ah, controle esse que não há
Desassossego bom esse do coração

Em algum lugar há
Quietude de afins
Um encontro não sei onde nem porque

Quero a vibração, a imensidão
Mas o dia-a-dia sem ressaca
o alvoroço possível

Ah, o amor
chega breve
um amor leve
que traz de volta a paz do olhar que carrego
mas a realidade do amor que hoje não tenho

Abro o campo do possível
Estranho seria se assim não fosse

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

O que é isso?

Você está lendo no momento Desassossego no Retalhos.

Meta

%d blogueiros gostam disto: