gols contra

outubro 30, 2011 § Deixe um comentário

Preciso compartilhar aqui uma sensação muito estranha que eu tive ontem, sábado, em pleno clube-noturno ou casa-de-shows-parisiense (nao sei qual nome melhor dar agora). O caso é que havia uma “Festa ANOS 90” lá. Até aquela hora a festa estava muito, muito boa. Afinal, a minha adolescência foi anos 90 e minhas poucas lembranças dos 3-em-1 vêm de então. Eu dancei pra valer! Mesmo depois de um dia muito, muito pesado.
Mas eu não sabia que a noite podia se consagrar com momentos mais….descrevam vocês mesmos com o vídeo aí embaixo.


Lembrem de 1998 e vocês vão saber do que eu estou falando. Sim, a Copa; sim os gols.
Sim, descobri que é o ÚNICO ORGULHO DOS FRANCESES. Eles vibram, eles vivem isso.
E foi isso aí que eu vi para fechar com chave de ouro meu dia. Além, claro, das muitas “gozações” de franceses ridículos. Bien sûr!


Untitled a video by hinerasky on Flickr.

[Parênteses do dia: No jogo, um ganha e um perde. Na vida não. Mas a gente escolhe coisas, e algumas delas ficam para trás. Essa é uma história minha que começou lá em 2001, no meu primeiro intercâmbio. Uma viagem é uma escolha, é uma mudança. São muitas! Traz perdas. Perdi(2)]

Je vous embrasse,
Dani @hinerasky

Anúncios

Supermodelos no Brasil rural

junho 11, 2010 § 1 comentário

Muito bons o video e a matéria “Off runway, Brazilian beauty goes beyond blond” do The New York Times, que falam sobre o mix étnico-cultural do Rio Grande do Sul em especial, valorizado pela indústria da moda e da beleza, e, por isso, bastante procurado pelos scouters pra encontrar novas tops.

Além de mostrar o diferencial da miscigenação européia, a matéria traz à tona a discussão da contradição entre as agências buscarem este perfil “europeu” e o padrão de beleza majoritário no Brasil, pele mais escura e negra, que deveria ser nossa beleza de exportação ou pelo menos, dividir espaço com as “louras exóticas”.
Quer dizer, se aqui as atrizes Juliana Paes e Camila Pitanga são as mais sexy e, além disso, Taís Araújo, representou a top model em novela de horário nobre, há pouco tempo, significa que há um movimento de mudança ou isso é só no mercado interno?
.
.
Que nosso país é continental e de heterogeneidade cultural, não temos dúvidas. Que não existe um padrão de beleza apenas também. Mas, entao, o que conta é o mercado externo da moda na determinação do padr$o de beleza?
Tem certo e errado? Ainda vivemos numa ideia colonialista?
Questões em aberto, né?

Me detenho a minha insignificância gaúcha, polaca e alemã. beijos.

carnaval no brasil é…

fevereiro 16, 2010 § 2 Comentários

o ERÓTICO,
o EXÓTICO,
e o CAÓTICO.

Do porque não fugiremos de estereótipos nunca. né?

.
até quinta. bjs.

A Índia não é aqui

fevereiro 19, 2009 § 3 Comentários

# Desde que a novela Caminho das Índias, da Globo, entrou no ar eu pensei: “agora vai ser bata, bordados, kajal nos olhos, e essa moda indiana por aí”.
Porque as pessoas se apropriam do que é popular da cultura massiva, daquilo que aparece nos canais abertos, especialmente nas novelas, porque têm repercussão ainda.
E tem mais. As roupas são coloridas e lindas. O mundo é global. tudo é democrático… E até pode ser bacana entrar na “tendência.

# Inclusive, usar Kajal é manchete da Vogue Paris (peguei a foto abaixo) como tendência dos desfiles das últimas temporadas, porém, como se faz no Egito, de um jeito “mais chique”, informa o texto. “Não muito gótico ou rock”. Também não se refere à Índia.
090217-le-printemps-du-kajalaspx65814image
Anyway, vai se usar muito kajal por aqui também. No carnaval dá pra abusar sem parecer fantasia!

# Quanto às roupas, eu me cuidaria pra não parecer fantasiada, pois, pelo pouco que sei, mais que adorno, cada peça do vestuário indiano tem um significado.
Será que é legal, por exemplo, colocar aquele terceiro olho (pintado de vermelho ou com um ‘pin’ colado) pra ir numa festa??? (vimos uma mulher dia desses). Ou vestir um saree sem fazer parte da cultura? O que vcs acham?

# Particularmente acho lindos os sarees. Tenho um de estampa AZUL (das fotos) que ganhei de um amigo, o Juliano, que foi trabalhar por um ano no sul da Índia, em Bangalore (um dos principais centros de tecnologia do mundo).
Um saree (explicação aqui) são 7 metros de pano (varia), normalmente seda pura (há os com bordados incríveis tb), que a mulher deve vestir enrolando no próprio corpo, com uma blusa por baixo. O tecido também é suficiente para costurar 2 ou 3 peças (uma calça e uma blusa à moda delas) – o Juliano explicou. O que eu mais acho fantástico é que ele é dividido em 3 designs (estampas) diferentes, sendo que a da extremidade a gente corta para ser o lenço da cabeça – chamado Dupatta.

Dupatta: o lenço

Dupatta: o lenço


Porém, ainda fica um barrado com um design diferente da parte maior que dá um acabamento bonito pra ficar caído para trás, nas costas (sabe como é?). Me encanta mesmo (confesso que tentei tirar fotos de corpo inteiro, mas não consegui (aqui no Flickr mais algumas).
dsc045151dsc04538
Tenho já faz mais de um ano. Não tive coragem de mandar cortar pra fazer um vestido por exemplo. Se vou usá-lo? Não sei. O que vcs acham?

.puro romance.

dezembro 13, 2008 § 1 comentário

casmurro1casmurro2Bonito, né?

Acho que vivi também nessa época.

Pra ver ouvindo Transatlantique, do Beirut (aqui)

Links:

# Projetos  MilCasmurro e Quadrante

# siteOficial da série Capitu

Onde estou?

Você está navegando em publicações marcadas com Brasil em Retalhos.

%d blogueiros gostam disto: