beleza roubada

junho 28, 2011 § 2 Comentários

flanando por St-Germain-des-Près, onde fica o campus da Rene-Descartes-Sorbonne, a gente tropeça nisso aí.
De lojas bacanas a “service retouche sur mesure” (e o tanto que meu vô, que era alfaiate, ia se dar bem até hoje aqui)… a figuras arquetípicas como essa aí de cima.

C’est Paris!

beijones, @hinerasky

Anúncios

retratos de Paris [2]

junho 24, 2011 § 1 comentário

Nao é difícil fazer um post de street-style em Paris.
Em qualquer lugar…, já que existem jeitos e estilos originais colorindo as ruas, os metrôs, as lojas. Em vários guias e blogs eu li que Paris é heterogênea e cosmopolita. É, de fato.
Uma mistura de franceses, ‘la Parisienne’ com os passantes, os migrantes orientais e afro-descendentes, com estudantes tradicionais e turistas de todo o lugar (entre eles esportistas, os hippies e os elegantes), todos bem produzidos e quase sempre originais. Todos a cara de Paris.
Por quoi?
Parce que é um jeito despreocupado de vestir(se).

=> Estar bem vestido (tendo o significado que tiver do ponto de vista pessoal de cada um) é importante, sim. Reflexo de uma cultura de moda consolidada.

=> Mas o aspecto principal, aqui em Paris, e talvez em grande parte da Europa, é que NÃO há preocupação com o diferente. Ça veut dire (Ou seja) que as pessoas não vão ficar reparando se eu sair com uma bota de cada cor. Um lugar em que a liberdade de expressão é respeitada.

Pelo menos é o que parece, neste meu olhar fresco sobre Paris.

O resultado da ‘mélange’ particular do guarda-roupa ou da mala (no caso dos turistas) de cada um é bem bonito. E não é?
Continuo andando pela cidade e tentando acompanhar esses fotógrafos-de-estilo, como já fiz antes aqui.
Beijones, @hinerasky

.
.
.
Endroits: frente do Museu d’Orsay, e ruas do 10eme e St-Germain-des-Près.

retratos de Paris [1]

junho 13, 2011 § 2 Comentários

No meu primeiro dia de turista em Paris eu tive vontade de começar com um esporte típico feminino: babar vitrines nas lojas das ruas mais desejadas do mundo: Av. Champs Elysées, rue du Faubourg-Saint-Honoré, Cambom… Eu fiz isso, claro, até porque já era meu quinto dia na capital da moda e eu precisava fazer algo típico.
Foi então que desci na estação de metrô Charles de Gaulle Étoille, bem no Arc de Triomphe. Quando vi (mais uma vez) aqueles milhares de – desesperados – turistas, comecei a registrar os movimentos deles diante do monumento.
.

Agora é isso que tem me instigado muito: flanar por aí e fotograr os turistas e e essa gana de cada um em captar aquilo que não se pode captar com uma foto: o prazer de estar em um lugar tão lindo e suntuoso.

Também tiro outras fotos, claro, mas estou gostando de observar esses diferentes… tão iguais, todos clichês como eu, que intentam fincar sua bandeirinha em cada um dos ‘points turistiques’ dessa cidade charmosa, bege, correta, poliglota. É uma forma de dizer por bites: “oi, eu já passei por aqui”. Até porque é obrigatório ter retratos de Paris nas redes sociais, bien sûr!!!

E agora eu faço coleção desses momentos, retalhos das ruas de Paris. Tô gostando. Espero que vocês também.
Bisous, @hinerasky
.
.
.
Endroits: Arc de Triomph, Notre Dame, Petit-Pont
.
.
.
mais retratos de Paris, aqui.

buenos aires: terceira temporada

fevereiro 11, 2010 § 2 Comentários

Mi Buenos Aires querido: me encantam el design, la decoración, la ropa, los restaurantes e cafés. Te trouxe – de novo – na mala, nos olhos e no coração.


.
mais fotos no flickr.

Onde estou?

Você está navegando em publicações marcadas com flanear em Retalhos.