bege de frio

maio 15, 2012 § 2 Comentários

Enquanto trabalho no meu (micro) home-office em Santa Maria, estou em frente a dois casacos pendurados em 2 pregos (vejam a situação!) e me dou conta como eu fico bege de frio. Parei pra pensar (e fotografar) porque tenho mais de 5 casacos bege, além deste trench-coat e deste casaco de lã.

Com o passar dos anos, a paleta de cores do meu guarda-roupa foi ficando mais discreta. Fora as listras, eu visto bege, branco, preta, cinza e vermelho. Com poucas variações.

Por enquanto me sinto bem assim. Mas não sei se isso é bom ou ruim.

E vocês?

beijones, Dani.

Anúncios

retalhos da pós-fashion-week

outubro 17, 2011 § 2 Comentários

Eu tenho muitas coisas para compartilhar aqui desde o final de setembro. Tive experiências incríveis, vivi momentos lindos, me superei no trabalho, fui a lugares e restaurantes ótimos, vi tanta informação e imagem, tanta novidade e também tanto mais-do-mesmo.
Mas as ideias, as emoções, as palavras e as coisas precisam de um tempo de maturação. E eu ainda preciso pensar sobre o que vem por aí…
Então eu resolvi escolher algumas PALAVRAS-CHAVE das últimas semanas. Os meus retalhos: street-fashion, ângulos, frio, seminários e reivindicação .

1) STREET-FASHION
A Paris Fashion Week (prêt-à-porter) Primavera-Verão 2012 foi especial porque fez uma semana de veranico e tempo bom (de 27 de setembro a 5 de outubro). Em termos de “street-fashion” (entra e sai de convidados), não posso fazer um balanço se foi melhor ou pior que as últimas edições, em termos de originalidade, moda etc. Mas posso dizer que há um público interessado (os fashionistas?) que participa à margem de tudo – são como os fãs nas portas dos shows. Mas que cumpre um papel.
Quantos aos outros fashionistas – convidados ou não –, vale dizer que eles se preparam para ir a cada desfile, como se fosse a um evento social do tipo baile ou casamento. Alguns são mais low-profile, claro. Mas ali se encontram os “posers” em looks pensados (elaborados), alguns extravagantes e outros até surreais (tipo fantasia). Oh:

2) ÂNGULOS
Existem muitos MODOS DE VER Paris: o ponto de vista turístico, o dos nativos, o dos fotógrafos profissionais, o dos fotojornalistas… Na capital da principal fashion week do mundo, as ruas e seus múltiplos enquadramentos são um lugar para “ver” e “ser visto”. E na porta dos desfiles os fotógrafos e blogueiros profissionais têm reclamado esse excesso de curiosos com uma câmera na mão ou a presença de blogueiros e “fotografantes” anônimos (em excesso). Pulverizou. O street-fashion está saturado.

Mas aí reside um ponto central da discussão, a meu ver. Existem muitos ângulos e pontos de vista sobre a moda de rua, ou da porta dos desfiles. Experts ou blogueiros podem apontar para onde a moda vai a partir de detalhes que se repetem entre esses looks, isso é verdade, sabemos.
No entanto, acho menos importante o quê as pessoas vestem, e mais fundamental AS RELAÇÕES QUE ESSA ESTÉTICA DO STREET-FASHION (quase sempre pouco convencional) PERMITE ESTABELECER. É um desejo de comunicar/interagir que acaba por se concretizar, seja nos parcos diálogos ali entre esse “repórteres”, ou nos blogs, mais tarde. Por isso que não é ruim todo esse povo ali na frente.Mas como falo em ângulos, esse é o meu. Um ponto de vista.

3) FRIO
O outono chegou de verdade e as temperaturas baixaram. Preciso comprar luvas.

4) SEMINÁRIOS
Minhas aulas começaram para valer. Tenho seminários toda semana. Encontrar o meu orientador, portanto, me faz lembrar que eu tenho que trabalhar na pesquisa. Significa: ter uma rotina de estudos mais séria. Mas como fazer isso sempre, sabendo que Paris está ali fora?

5) REIVINDICAÇÃO
Eu moro bem pertinho da Bastille, que é onde ocorrem todas as manifestações e reivindicações em Paris, seja pela paz mundial (como teve neste dia 15 de outubro – foi no mundo todo), seja por empregos e melhores salários ou contra o Sarkozy, como na semana passada (foto). A França, e Paris também, está passando por dificuldades (vocês talvez saibam melhor). A Europa em geral não vai bem em termos financeiros…

Alors, a palavra “reivindicação” é chave para mim, porque ela solicita AÇÃO. Do outro, mas penso que, principalmente, de nós mesmos. Acho que às vezes a gente reclama demais, espera demais dos outros, reivindica demais, mas age pouco. Esta semana e hoje em especial, eu olhei para dentro de mim e pensei: O QUE EU ESTOU FAZENDO POR MIM? Segue a luta!

.
Espero que gostem das fotos da fashion-week, gente. Estou começando a postar as fotos no Flickr.

A última imagem é deste menino, na porta do desfile da Louis Vuitton, que estava com a mãe, aparentemente alheio ao mundo da moda lendo seu livrinho, mas por sua vez totalmente imerso (Quando eu olhei de longe, juro que não acreditei. Me deu vontade de conversar com ele).

.
AGORA ME DIZ, É POSSÍVEL FICAR ALHEIO À MODA?
NÃO AQUI em Paris!

Je vous embrasse,
Dani @hinerasky

.retalhos do frio.

julho 26, 2009 § Deixe um comentário

Cebola, passeios em Porto Alegre e moda para o friozão, incluindo casaco de vison pra sair no centro são alguns dos assuntos dos retalhos de hoje. Oh:

## Dias de frio extremo como esta semana no Rio Grande do Sul, em que as temperaturas ultrapassam pouco os 10 graus (e até baixam a linha do zero) e com esta pandemia de gripe A pelo Brasil, exigem roupas muito quentinhas. Digo, bem grossas, de lã mesmo. Nada de “peças leves pra jogar uma jaquetinha em cima”, como sugere alguma tendência.
É tanto frio que dá vontade de jogar o estilo pro alto. É preciso usar mesmo muitas peças de roupas… A tal tese da cebola, que a Miuxapop defende (especialmente para aqueles dias com as 4 estações juntas), porque acabamos tirando algumas delas ao longo do dia.

le velô

E eu era a própria cebola com 5 camadas, na manhã deste sábado para ir até o centro, encarar o ar polar para um passeio a museus+shoppings com a família vinda de St Cruz do Sul.

* em cima: camiseta de manga curta + blusa de malha de gola alta + blusão decote V + casaco de lã + manta
* embaixo: 2 meias-calça+ saia+ bota (fora underwear, sure).

E é ao entrar nos lugares públicos fechados, que possuem ar-condicionado numa temperatura morna(!), que a gente começa a sentir desconforto e descascar algumas partes do figurino. O problema é ficar carregando isso…

## O pouco que andei no centro e nos shoppings nesse friozão, nos últimos dias, foi bom pra ver a moda (nas suas excentricidades) como ela é de fato, nas suas exigências – na sua necessidade primária, a proteção – e como as pessoas se adaptam, nas suas diferenças, não só de acordo com os gostos pessoais, mas valendo-se do guarda-roupa que já possuem, pensando justamente no bem-estar (em se proteger do frio e se aquecer).
#Apesar destes extremos de temperatura, a moda é (e deve ser), cada vez mais, o uso adequado das roupas para o bem-estar: pessoal e estético, como demonstram os exemplos de estilo e atitude na moda de rua das (fotos que tirei, abaixo), do morador de toca de lã bem quentinha e da senhora elegante de vison, próximos do Museu. CONFORTÁVEL PRA QUEM USA E PRA QUEM VÊ!

## Falando em Museus, quem não foi ainda, tem que ir no MARGS ver a exposição “ARTE NA FRANÇA” (vai até o dia 30 de agosto).
Além de ver tudo de lindo do Realismo e do Cubismo do lado de dentro (levando só 1kg de alimento não perecível) – como Les Demoiselles de Renoir (As meninas rosa e azul), pode ter a sorte de ver retalhos de rua ainda mais bonitos como o tranquilo senhor e a chiquérrima felpuda, ou até “As Meninas” de verdade (minhas fofas afilhadas Isadora e Valentina), que estavam comigo (mais fotos aqui)

praça da alfândegame vison

## A exposição “Reflexio: Imagem contemporânea na França“, no Santantander Cultural, também em comemoração ao Ano da França no Brasil, tem belas fotografias e vale muito a visita (eu mesma já fui 3 vezes). “The Ongles” são minhas preferidas. Vai lá e me conta sobre estas aí. o

.pra você, leitor querido.

julho 25, 2009 § 1 comentário

DSC05248

Bom fim frio de semana!

Onde estou?

Você está navegando em publicações marcadas com frio em Retalhos.

%d blogueiros gostam disto: