bah, dizem por aí que não é novidade

março 21, 2012 § 1 comentário

Faz uma semana que viralizou a campanha “Coisas que Porto Alegre Fala“, com dois vídeos bem divertidos até agora, com situações de gaúchos, suas expressões, gírias e sotaques…
Pra quem ainda não conhece, também está no twitter @coisasqpoafala.

O gauchês, o porto-alegrês e todo dialeto particular é sempre, no mínimo, motivo de risada entre nativos. Né?!
E quando não é piada, é motivo de orgulho, claro…
Eu fico “louca de faceira” de me sentir parte do grupo.
Quem não?

Mas foi, antes, no início de fevereiro que eu conheci um projeto BEEMM parecido com esse, chamado CE QUE DISENT LES PARISIENS (“O que os parisienses dizem”), criado e divulgado pelo famoso site “My Little Paris” (que eu indico ler e assinar a Newsletter – ou pelo menos ver as coisas lindas). Olha só que graça!

.
.
Tem também “O que os parisienses dizem no escritório“:

[A parte quando a guria marca depilação cavada completa é de “rir” alto”]

.
.
Eu gosto muito, muito dos projetos… tanto o francês quanto o porto-alegrês.
Dá até impressão que é o inconsciente coletivo… com as mesmas ideias
fervilhando. Bien sûr…

Virou moda agora.
Capaz que não
.

.
.

bon weekend com Lou Lesage

outubro 22, 2011 § Deixe um comentário

Mais uma jovem cantora(e-atriz-francesa) para a lista das minhas surpresas fofas daqui: LOU LESAGE.
Inglês também é a língua escolhida por ela para cantar, no álbum “Under my bed”. Não sou nada entendida de música, mas achei bonzinho o som dela para acompanhar o final de semana.

Forgotten child” tem clip e letra BEM bonitos e ao mesmo tempo comoventes:

Dirty looks” tem outra batida. Me faz lembrar meus amigos jovens que estão lá em Porto Alegre. :)

Neste vídeo, um pouco da história da carreira dela e do último álbum.

Je vous embrasse. bon- weekend!
Dani @hinerasky

O século 18 (sempre de) volta na moda

setembro 19, 2011 § 1 comentário

Conheci no final de semana o “Domaine” de Versailles, a área do Castelo e outras “maisons” (o Grand e o Petit Trianon) da família real francesa, todos do século das luzes, feitos por Louis Auguste para a austríaca MARIE ANTOINETTE, que foi rainha da França.
De repente toda a história fez sentido para mim. O estilo de vestidos, móveis, decoração e até porcelanas que eu gosto estavaM ali nas dezenas de salas, salões e quartos do Château de Versailles na sua potência máxima. Sim, o mundo inteiro herdou referências dos costumes, das vestimentas, da etiqueta e da pompa da nobreza do século 18.
E é justamente sobre a influência consagrada daquele século na moda atual o tema da exposição temporária (vai até o dia 09 de outubro) que está nos “appartements” do GRAND TRIANON (uma das casas dadas de presente pelo rei para Maria Antoinette, após ela dar à luz a primeira filha): LE XVIIIe AU GOÛT DU JOUR – Couturiers et Créateurs de mode (Do século 18 aos dias de hoje), em parceria com o Musée Galliera (o Musée de la Mode de la Ville de Paris).

Esta é outra exposição que eu queria que todo mundo visse comigo. Fui até repreendida por fotografar (não era em todas as salas que a gente estava autorizado), mas eu não podia deixar de mostrar alguns dos 50 modelos expostos, entre looks de época e outras prêt-à-porter. Parte são vestidos do acervo das Maisons de grandes criadores e designers do século XX (Dior, Lacroix, Chanel, Mugler, Balmain,…) e outra parte são peças e acessórios do século XVIII, da coleção do Musée Galliera, que mostravam o diálogo que existe entre esses momentos históricos e nos fazendo perceber como aquela época foi e continua (re)visitada na moda até hoje. Olha só:

Os vestidos, cercados de lâmpadas (incandescentes), pontuavam o século das luzes na moda dos que vieram depois. Tudo tão literal e tão sutil ao mesmo tempo. Porque ainda que tudo ali fosse a história dos homens franceses (e das mulheres!), tudo é ainda é tão atual. A maioria das peças – vestidos sublimes e glamourosos – dos designers poderiam ser usadas por nós mulheres em ocasiões especiais (e vão valer como inspiração, claro!).
Ora, ao andar por uma exposição que fica nos cômodos da casa que foi de uma RAINHA, a sutileza está em perceber o romance.
O gl(AMOUR) também faz parte da vida. Né.

beijones, @hinerasky

TODAS MINHAS FOTOS DA EXPO (com estilistas) AQUI NO FLICKR

beirutando em português

setembro 11, 2011 § Deixe um comentário

Ainda inconformada sem ingresso para ver o Beirut no Olympia (Paris), amanhã, dia 12, fui abençoada com este vídeo do Zach e a sua adorável tentativa de cantar em português.
Zach, leãozinho! Mignon!

Gosto muito de te ver, leãozinho
Caminhando sob o sol
Gosto muito de você, leãozinho
Para desentristecer, leãozinho
O meu coração tão só
Basta eu encontrar você no caminho

.
.

vamos lá glamourizar?

setembro 2, 2011 § 1 comentário

A Vogue Fashion Night é um desses eventos criados para democratizar a “moda-magia” (boy-magia?), aquela das grifes sonhadas por qualquer mortal, das butiques de luxo, das roupas milionárias mesmo (que eu tenho medo até de tocar). As Maisons da Avenue Montaigne, em Paris, onde toda a marca ou estilista respeitável de moda tem seu “endroit“, abrem suas portas de novo… no sentido de aproximar a ‘moda de grife’ das pessoas. Porque não é todo mundo que entra nestas lojas (nem quem viaja), tampouco todo mundo pode ir a desfiles de moda.
Claro que qual-quer um de nós pode entrar nessas lojas, em qual-quer outro dia de horário comercial… Para olhar ainda não se paga, né. Mas nem sempre a gente tá disposto a encarar portas fechadas e seguranças na porta. É normal eu me sentir intimidada.

No vídeo que a bela Emmanuelle Alt, da Vogue, convida todo mundo, dá para ter uma ideia da badalação.

A meu ver, a festa acabe sendo chance do acesso ao “luxo”. Seja por meio da possibilidade de conhecê-lo, ou pela possibilidade de ver que pode comprar ‘quelques choses’, seja uma bolsa, uma carteira, um sapato. Ou NA-DA!
Uma ação publicitária divertida, né. Quem não gosta de festa, de (ver) gente bonita e ‘rycaaa’?

Então, vamos?
Tipo assim, Alice no país das maravilhas. :)

beijones.

.

Madame Grès, mestre da alta-costura, no museu

agosto 6, 2011 § 3 Comentários

Paris não é só esbarrar em cartões-postais como a gente acha. É uma aula de moda e de comportamento todos os dias. Há escolas temporárias e atividades que servem como nossos tutores, digamos (porque professor não se substitui, claro).

Dessas, as melhores, na minha opinião, são as ruas, vitrines, as bancas de revista, as lojas de departamento e os consumidores desesperados… porque dá para ver a MODA-VIVA. Mas tem também as exposições (só de moda, no momento há três), que tal qual os livros, são como guias a contar trajetórias e histórias que não teríamos como saber se ali reunidas não estivessem.

A exposição da Madame GRÈS (1903-1993) é um exemplo!
Acho que ela é uma das estilistas mais dignas de estar no Museu. Ainda mais no Musée Bourdelle, um dos mais bonitos que eu já conheci. E porque ela não fez só uma moda exclusiva e de qualidade, gente(!), ela esculpia mesmo os tecidos – não é à toa que queria ser escultora, como diz no site oficial do museu.

Coisa mais lin-da está a exposição “Madame Grès, la couture à l’ouvre”, que vai até o dia 28 de agosto (inclusive foi prorrogada tamanho o sucesso). Ver as roupas de festa entre obras de arte do acervo do museu é sensacional!

Mas o que mais deixa a gente boquiaberta são os vestidos, claro. Os cortes e as curvas, em drapeados bem desenhados – cada um como uma obra de arte de verdade, isso sim! E nos tecidos mais flutuantes e leves do mundo – seda, jérsei, sei lá… (e outros mais pesados, claro, dependendo da proposta e da peça). Eu ia olhando e me apaixonando… Deu uma vontade de vestir um dos vestidos e sair dançando pelo salão [SUSPIRO].

Para quem não tiver a oportunidade de ir, fiz algumas fotos (tem mais aqui no set do meu Flickr). Não gosto mesmo de fazer fotos em museus. Mas estava demais, e eu precisava compartilhar tanta beleza e genialidade com alguém. beijones!

Ah, a exposição tem também muitos desenhos da estilista e editoriais das revistas Harper’s Bazar, Vogue…e outras, feitas por vários fotógrafos, entre os quais Guy Bordin e Richard Avedon. \o/

retalhos da semana

julho 26, 2011 § 3 Comentários

Esta semana, a gente reescuta “Nantes”, de BEIRUT, neste clip-ping-off da Blogotheque in Oberkampf (aqui em Paris).

.
.
A gente teve uma agenda cheia e aprendeu muito no curso de PRODUTOS DE MODA E COMUNICAÇÃO, na Summerschool do “Institut Français de la Mode” e admirou o visionário HUSSEIN CHALAYAN, na exposição “Narrativas de Moda”, que está absurdamente perfomática e bonita, no Musée des Arts Décoratifs (107, rue de Rivoli – www.lesartsdecoratifs.fr), e vai até o dia 13 de novembro.

.
.
A gente se emociona na Maison (casa) e nos Jardins de Monet (Fondation Claude Monet), em Giverny, cidadezinha fofa que fica a uma hora de Paris.

[Nao perde todas as fotos AQUI]

.
.
E a gente é inteira saudades depois de 49 dias em Paris.
beijones, @hinerasky.

Onde estou?

Você está navegando em publicações marcadas com programação em Retalhos.

%d blogueiros gostam disto: