16 de abril

abril 16, 2012 § Deixe um comentário

meus melhores retalhos ever. EVER.

:)
beijones
dani.

Anúncios

O século 18 (sempre de) volta na moda

setembro 19, 2011 § 1 comentário

Conheci no final de semana o “Domaine” de Versailles, a área do Castelo e outras “maisons” (o Grand e o Petit Trianon) da família real francesa, todos do século das luzes, feitos por Louis Auguste para a austríaca MARIE ANTOINETTE, que foi rainha da França.
De repente toda a história fez sentido para mim. O estilo de vestidos, móveis, decoração e até porcelanas que eu gosto estavaM ali nas dezenas de salas, salões e quartos do Château de Versailles na sua potência máxima. Sim, o mundo inteiro herdou referências dos costumes, das vestimentas, da etiqueta e da pompa da nobreza do século 18.
E é justamente sobre a influência consagrada daquele século na moda atual o tema da exposição temporária (vai até o dia 09 de outubro) que está nos “appartements” do GRAND TRIANON (uma das casas dadas de presente pelo rei para Maria Antoinette, após ela dar à luz a primeira filha): LE XVIIIe AU GOÛT DU JOUR – Couturiers et Créateurs de mode (Do século 18 aos dias de hoje), em parceria com o Musée Galliera (o Musée de la Mode de la Ville de Paris).

Esta é outra exposição que eu queria que todo mundo visse comigo. Fui até repreendida por fotografar (não era em todas as salas que a gente estava autorizado), mas eu não podia deixar de mostrar alguns dos 50 modelos expostos, entre looks de época e outras prêt-à-porter. Parte são vestidos do acervo das Maisons de grandes criadores e designers do século XX (Dior, Lacroix, Chanel, Mugler, Balmain,…) e outra parte são peças e acessórios do século XVIII, da coleção do Musée Galliera, que mostravam o diálogo que existe entre esses momentos históricos e nos fazendo perceber como aquela época foi e continua (re)visitada na moda até hoje. Olha só:

Os vestidos, cercados de lâmpadas (incandescentes), pontuavam o século das luzes na moda dos que vieram depois. Tudo tão literal e tão sutil ao mesmo tempo. Porque ainda que tudo ali fosse a história dos homens franceses (e das mulheres!), tudo é ainda é tão atual. A maioria das peças – vestidos sublimes e glamourosos – dos designers poderiam ser usadas por nós mulheres em ocasiões especiais (e vão valer como inspiração, claro!).
Ora, ao andar por uma exposição que fica nos cômodos da casa que foi de uma RAINHA, a sutileza está em perceber o romance.
O gl(AMOUR) também faz parte da vida. Né.

beijones, @hinerasky

TODAS MINHAS FOTOS DA EXPO (com estilistas) AQUI NO FLICKR

cheiro de vento.

agosto 25, 2011 § Deixe um comentário

Eu amo o ar, o vento, os cheiros. E os perfumes e as camisas e os retratos e as pernas pro alto.
E por causa deste filme delicado, eu quero L’Air, que está parecendo, de verdade, ser o melhor perfume do mundo. da Nina Ricci. <3

beijones de Paris.

eu queria ser amiga…

agosto 11, 2011 § 2 Comentários

da Miranda July.
Eu já disse exatamente porque aqui, antes.
.
.
Ela fala a língua do meu coração demodê, mas que não é ingênuo.
No dia 11 de agosto do ano passado (por coincidência ou não), meu post era com esta cena abaixo, a mais forte e mais bonita de um dos filmes dela, que tende a nos fazer acreditar no amor.

Este dia 11 de agosto de 2011 é um dia bem especial e diferente do que há um ano atrás, no coração. E talvez PARIS seja só o primeiro passo pra pensar na Tyronne. E bom, meu Richard você sabe quem é. né.

beijones e feliz 5.

.
.
{o diálogo da cena está traduzido todo no post}

Johann Pachelbel no metrô

julho 29, 2011 § 2 Comentários

Chorei.
Com essa Orquestra que está seguidamente em Chatêlet, quando passo pela estação.


Johann Pachelbel no metrô. a video by hinerasky on Flickr.

.
.
.
.
You obviously know what I’m talking about.
ahn?

beijones.

[Aqui uma versão linda]

André.

julho 11, 2011 § 1 comentário

Tu me manques beacoup, mon coeur.

.
.
.
[foto que eu fiz de um cartaz, no mural de um teatro que eu fui na semana passada, em Nation.]

Prix de Diane Longines 2011

junho 19, 2011 § 5 Comentários


chantilly_prix_de_dianes_1 a video by hinerasky on Flickr.


Meu 12 de junho foi um domingo muito glamouroso.

Primeiro porque começou com uma entrega fofa na porta do meu “studiô”: um legítimo BOUQUET de rosas vermelhas, enviado pelo namorado, André, de BsAs.
Nada mais Paris, nada mais amor…


.

Também, porque estive em Chantilly (lembram do Castelo onde o Ronaldinho casou com a Daniela Cicarelli? Lá mesmo!), une “petit ville” (pequena cidade) a uns 40 Km ao norte/noroeste de Paris, conhecida como a “Capital do cavalo” na França.
E no Hipódromo do Castelo de Chantilly estava acontecendo a edição 2011 do Prix de Diane (Prêmio de Diane), patrocinado pela marca de relógios suíça Longines.
Como os franceses repetem muito: “Franchaiment, a été genial”!

Foi como entrar na locação de um filme num dia de competição de cavalos, com Monsieurs e Dames e-le-gan-tér-ri-mos com seus chapéus (elas também com coquetes ou flores) e alguns muito, muito bizarross, óbvio. E todo mundo (inclusive o David e eu) com os paniers (espécie de brunch vendido numa caixa redonda linda, rosa pink ou azul), fazendo pique-nique, nos jardins do Chatêau. Todo aquele glamour cinematográfico do meu imaginário.
O jet-set-style existe, né. Glamour, charme e finesse ali, diante de mim.


Mas o MELHOR da journée foi o ‘concert’ da Coeur de Pirate, a cantora de Quebec [a tatuada Beatriz, que adoro], que canta músicas fofas em francês, e toca piano – de verdade – no show.


O Prix de Diane Longines é um dos mais importantes da França e do verão, na Europa e, com certeza, um desfile de chapéus a céu aberto. Pena que não trouxe o meu. Comprar um para o verão é meta agora. :D
.
.
.
[vale dizer que a entrada para as corridas era gratuita para quem ia portando un chapeaux. Ainda bem que eu tinha convite. ]

Todas as fotos do evento aqui: http://www.flickr.com/photos/hinerasky/sets/72157626813659835/
bisous, @hinerasky

Onde estou?

Você está navegando em publicações marcadas com romance em Retalhos.

%d blogueiros gostam disto: